Secação

secadorA secação no futebol é uma arte. Sem ela o futebol não teria a mesma graça.  Ainda mais quando se é sofredor torcedor do Clube Esportivo, que neste ano pôde torcer só três meses. Sem escolha, o resto ano sobrou para a secação. Uma necessidade básica para se sentir vivo, para ter um pouco de autoestima. Assim ele sobreviveu no estrambólico melancólico 2009.

O torcedor alviazul usou o máximo de toalhas para secar o Caxias na Série C. Deu certo. O Juventude, que veio se refugiar por aqui na última semana, encontrou um secador ultra-potente da Panasonic (confere  a foto), que por um bom tempo não voltarão a Terra do Vinho. No último sábado, o alviverde perdeu para o Campinense e está na pua à perigo na Série B.

Fazer o que… O negócio é manter a mente ocupada. Já para os alviazuis anti- Gre-Nal, ainda terão que fazer um esforço extra. O Inter, trocou seis (Tite) por meia-dúzia (Mário Sérgio) e  balança no G4. O Grêmio, na mão do Paulo Autuori, já perdeu a voia identidade e escorrega para mais longe da Libertadores. Assim vive o torcedor do Tivo, buscando novas formas de rir para não chorar. Estamos carecas de tanto usar o secador.  Sabemos que o torcedor quer mais é TORCER.  Mas por enquanto, o Urso Azul se torce de dor na sua caverna. Dever ser reumatismo, sintoma de quem tem 90 anos. 

Gustavo Bottega

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Blog da Corneta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s